terça-feira, 29 de junho de 2010

Incondicionalmente AMANDO

Independente do AMOR / dependente do amor…
SER / …

Não sou independente do AMOR, nem serei dependente do amor!
Arrojada a impertinência da minha pessoa, mas se me deixo divagar para além do básico, sei que mais certa não poderia estar…
Assim a minha consciência me permita manter o ser que sou e tento cada vez mais SER…
Do nada nasce o discurso entre mim, e eu mesma.
Fico triste quando reparo em pormenores que no dia-a-dia não sinto a grandeza de algo maior… só em dias como os de hoje vem a minha verdade.
Confesso-me estranha na maioria das vezes, retirada de uma realidade que pelos vistos poucos a têm.
Entristeço-me, quando reparo que as pessoas não sabem muito bem ao que vêm… certo é que ninguém fundamentalmente sabe, porém se ouvirmos quem somos chegamos a algo, tenho a certeza!
Como é que podemos pensar que o nosso destino é apenas e tão só, encontrar um parceiro? Ter filhos? E tudo isso, que aliás é a sociedade que nos orienta para tal…
Não somos nós mais que isso? Não que isso, seja mau, atenção, nada de males entendidos, muito pelo contrário, é, penso eu, o sonho de muitos, e concordo com os que desses sonhos se alimentam…
Acredito plenamente, que cada um tem a sua função, mas limitarmo-nos a algo aí sim, soa mal…
Não somos apenas um Ego à procura de refugio, somos mais, o amor que possa existir entre um homem e uma mulher, a nada se compara com o amor que possa existir entre os Homens sem condicionalismos morais, raciais, políticos, económicos, o AMOR INCONDICIONAL, meus caros existe, e esse sim é a causa de existirmos…
Nenhum amor entre homem e mulher o é, incondicional, quem o julga a si se engana…

sábado, 26 de junho de 2010

Sob o Sol

Leituras
Sol
Vida


Há séculos que não lia...
Sou viciada em algumas "coisas" de qualidade. "coisas" essas que fazem bem à saúde, desde livros, cd's, dvd's, etc... Há quem brinque com a quantidade de livros que compro e com o tempo que os levo a ler, raro comprar apenas um, aliás Fnac's, Bulhosas, locais onde os livros me tratam por tu, e pedem para parar um pouco, já sei bem para o que páro, e eles também parece conhecer o que procuro, venho sempre ou quase sempre acompanhada de um novo amigo, um ou mais confesso que são raras as vezes que apenas um novo amigo me faz companhia, a verdade é que é um vicio divinal, porém tristemente levo tanto tempo a le-los que chegam a ganhar aquele cheiro tipico de folhas abandonadas numa estante, há os que viajam muito, de casa para o trabalho, praia, piscina, saboreando o cheiro do cabelo, roupas, etc... nunca se zangam de ir de viagem seja para onde for...
Tristemente andava eu, há dias por não encontrar tempo, mental e fisico para os ler, ou pelo menos acabar os que iniciei, pois acabei dois numa tarde, assim por mera magia do sol, do mar, num final de tarde fui acariciada pela beleza de escritores e suas estórias...
Obrigado/a a ambos foi uma tarde agradável...
Criosamente ambos comprados em 2010... Verdade que são pequenos, finos, de leituras fáceis, tão faceis que uma criança demoraria menos tempo que eu...
Mas o importante é que estão lidos, e tidos em grande conta, dai o post de hoje, vou dar duas dicas de leitura.
Dicas de Leitura:
I:
Livro: A Descronstrução da Alma / Quando Voltares
Autor: Luís Costa Pires
(Obrigado, adorei ler o texto completo, depois de alguns anos a tentar encontrar lá apareceram... Obrigado pelas imagens magnificas de teatro...)
II:
Livro: Índigo _ O mistério do rapaz de luz
Autora: Inês de Barros Baptista
(Adorei, chorei, ri, sofri, amei, Uma lição, a todos nós, sobre o que é ser indigo, e humano... a beleza que pode existir em todos nós... O caminhar de estrelas, de bondades... ensinamentos)
Que nunca se deixe de sonhar, e se for preciso pedir auxilio a um livro para viver que seja...
Obrigado mais uma vez...

sábado, 19 de junho de 2010

Re-escrevo-te

terça-feira, 15 de junho de 2010

Deixando ir



Não é fácil...






Mas deixamo-nos ir...
Passamos a vida a guardar segredos e depois do nada, numa plena brincadeira saudável, deixamos sair algo tão bem guardado, até de nós...
Deixei escapar algo, tão meu e tão próprio; que a reacção futura não saberei qual é...
O Mundo roda e o meu roda e deixa-me de quatro e de boca aberta...
Como se deixa escapar o que se esconde com tamanho afinco...
Os ceus estão a enlouquecer-me... LOL

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Confissão




Acto ...


Imagino um vasto campo seco, como uma planicie alentejana, que apesar de seu ar esteril, nu, para mim tem um encanto próprio, de vez a vez encontro uma árvore verde que se ergue contra tudo o que amarelo a rodeia, mostrando que ela não é mais uma, é única; fico-me longuidamente a observar o campo em silêncio, a ver as cores que adopta com as diferentes posições do sol, e a mesma árvore fica ali sem mexer um ramo de cansaço, fica para além do mau tempo, da cara má que o dia possa fazer...
Existe sempre um pilar em tudo o que temos, seja o que for, e pode ser a coisa mais banal e insignificante para o nosso outro, mas para nós ter o maior dos significados.
Hoje, apesar de algumas lágrimas me cairem, por motivos que não comento neste nosso pátio de confissões, hoje, fiquei-te grata...
Dei-me conta de coisas que nem sempre lembro... Dei-me conta do belo. E de como um acto simples pode mostrar ainda um lado bom no negro que por vezes julgamos ser, ou pelo menos eu julgo ser. Nem sempre tenho razão, nem sempre acredito, nem sempre sou gente, nem semore sou um ombro amigo, nem sempre sou eu...
E tudo isso, por vezes fazes-me bem, apenas porque por vezes trazes-me ao que realmente sou, mesmo que longe de mim esteja, por tudo isso e mais fico-te sempre a dever mais uma ou outra...
Obrigada por me trazeres à superficie de mim.
E é aí que te adoro... sim te... e depois adoro.

Um pedaço do Mundo


(Cat: Jardins do Estoril)


Chuva! Esperava eu ir à praia ganhar um pouco de cor no rosto, mas quis D.Pedro outro tempo...
Perdido o sol, o tom, aquela cor mais saudável fiquei-me pelas cores da tela que se cumpre diante dos meus olhos...
No fundo hoje, a chiva criou-me planos conscientes de uma tela sobre o vidro do carro, nem tudo se perdeu...



(Cat: uma tela em vidro)

domingo, 6 de junho de 2010

SOLAR


Convite à Música


SEXTA-FEIRA DIA ONZE DE JUNHO

Local: Wallstreet, Paço de Arcos/Oeiras

Apresentação do Grupo SOLAR

Bateria: Virgílio Marujo
Guitarra: José Carlos Matos
Baixo: Capela
Voz: Eduardo
Teclas: Luís Mourinho



(rock... lembrando o sabor do som dos anos 80's)



a noite espera pelos apaixonados da melhor música de sempre...







Kitaro um som de luz mas não dos SOLAR