domingo, 31 de julho de 2011

C(o)uR(a)io(ç)s(ã)O




Fazemos amor como quem come suspiros no silêncio, mordemos as pontas do lençol já perdido nos sons da noite, rasgamos as bocas sebentas de comida (própria do momento). Correm os passos lá fora, para lá da janela entreaberta e do cortinado que dança; gritam as gentes da rua a sua esperança. Morremos de noite nos espasmos assim como se o amanhã não fosse um novo dia. Correm as vozes, por ruas estreitas, os gritos ecoam e as vidas espreitam todos os cantos, todos os fados. Amando, só amando cada pedaço de gota em tua pele (que reluz). Todas as manhãs o acordar fica certo com um abraço, um beijo, um arremedo do preludio da noite, tudo é...

domingo, 17 de julho de 2011

Férias

Indo numa corrente de ar...
O que encontrar não foi por procura mas porque assim me abarca a vida.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Toque

Quando o toque trás tudo
Tudo o que se precisa
De um toque e pele por um outro toque de pele
Quando se sente o calor dos dedos para além do calor da pele tocada
fundem-se os sentido e sente-se apenas o bater de um desejo...
O nunca acabar...

terça-feira, 28 de junho de 2011

Desencontros


Aprendi a sorrir da mesma forma que aprendi a chorar... com a vida!!!

Como nos damos

Caminhamos todos os dias por pegadas, sejam elas concretas ou não, há de tudo um pouco, pedaços já estipulados por nós mesmos, seguidos religiosamente quase que uma regra instituída à qual não se pode fugir. Outros vão de peito aberto em aventura pelo dia e pelos dias, sem plano rascunho, outros são que param e observam todo o resto que passa e anda.
Afinal quem somos? O que pretendemos com tudo o que fazemos? O que nos leva à glótica ou a miséria? Quem somos?

sábado, 25 de junho de 2011

Escrita em sombras

Vagueava sobre uma tela
a tua pele recebia a tinta
o traço deixava o rasto do sensível
uma escrita silenciosa entre o canto das unhas e a tua pele
traçadas as linhas invisíveis
ficavas prepetuamente ali,
com a esperança no olhar, o lábio cruzando-se num sorriso
uns dentes afiados para morder outra vida
desapareciam as linhas que nunca foram senão marcas de unhas na pele
ficava o toque e o seu quente ardor
envolviam-se em sombras
e o tecto ficava repleto de figuras orgânicas sem necessariamente serem um eu ou um tu
eram linhas desta feita linhas de sombras
que preenchiam o som da noite, da tarde ou de uma madrugada
escreviam-se poemas em símbolos próprios
onde só os dois liam...
era a escrita mais longe das noites e dos dias...

The Maccabees - First Love

terça-feira, 7 de junho de 2011

O marco que nos deixam...

Para relembrar, para guardar, para nos deixarmos levar...

Obrigada Chaplin onde quer que estejas a rir...
http://youtu.be/5r5nVPoppWc

sexta-feira, 3 de junho de 2011

...

Onde agarrar o âmago?
Na ferida já sarada pelo passar da eternidade,
naquela forma meio disforme de estender o braço ao acaso,
levando o ar dentro dele...
Onde carregar no botão da esperança,
se o elevador já segue caminho,
por onde subimos nós?
Descalços de sentimento, de alento, de um fôlego já ausente de sede...
Por onde se desce, por onde se sobe?
Se o horizonte é tudo mais que o nada...
Agarras ao tudo, que no fundo nada te é,
e desces, desces, mas como sobes depois de tanta queda sem chão?

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Ultimas ou primeiras

Hoje a noite foi de arromba de boa...
Speackeasy com comedia... Muito bons...


Mas o dia prendeu-se com: "MAS AFINAL QUEM FODEU O PEPINO?"

terça-feira, 24 de maio de 2011

DO NADA

ASSIM O NADA SABE BEM O TEU SABOR NOS MEUS LÁBIOS
SABE BEM ESSA CARICIA ROUBADA NUM RESPIRAR
ASSIM SEM SABER DE ONDE CAI O BEIJO CAIS EM MIM
DO NADA CAIS EM MIM
ASSIM COMO SE NADA DEMAIS FOSSEM TEUS ABRAÇOS
CAIS EM MIM
DO NADA CAIS EM MIM
DO NADA CAIS EM MIM
ASSIM DO NADA O TEU BEIJO CAI EM MIM
O TEU TOQUE CAI EM MIM
DO NADA CRESCES
DENTRO
CAIS EM MIM
CÁ DENTRO NASCES EM MIM
ASSIM DO NADA BEIJAS A BOCA QUE TE AMA
E CAIS ASSIM DO NADA AMAS ASSIM DO NADA...

terça-feira, 17 de maio de 2011

ama

No canto guardado em ti, ama
Ama, uma vez que seja
Na vida, ama
Pois só assim valerá a viagem
Ama, por um dia que seja...
Pois só assim funciona uma vida.
Ama

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sei que ainda estás

Sei que ainda estás, e no entanto a tua perda foi tudo, sei que ainda amparas cada mágoa, mas ainda assim não te vejo.Sei que cada passo meu estás lá, em minha a tua presença, sei que tudo foi uma lição inacabada.Sei que me olhas, sempre na distância (nossa) e ainda assim amo-te nessa tua aussência.Sinto-te cada vez mais e amo-te a cada sentir meu de ti.Quem me dera sentir-te uma e outra vez em torno de mim.Obrigada...





Ps: nunca a morte separa o AMOR.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Furiosamente

Furiosamente

Quero-te, à chegada de todas as madrugadas pela janela a dentro.
Sem demoras de uma noite prolongada.
É o tic-tac do relógio e a porta a ranger, e o teu eu a chegar.
Furiosamente, esperando impaciente a tua presença.
Quero-te, daquela forma meio selvagem, que nos arranca a capa da vida.
Da forma mais violentamente perfeita.
Assim sendo, chega, chega o mais depressa que possam tuas pernas...
Quero-te, depois de mais um dia cansativo de trabalho, da correria da vida, mesmo assim quero-te.
Exactamente da mesma forma como te queria num outro dia passado.
Furiosamente, cada pedaço de pele, cada gota do teu orvalho, cada palavra bebida em ti, assim sendo, quero-te hoje bem mais do que em qualquer outro dia.










Procura-se a existência, o acordar de um sono profundo no ser. Busca-se a vida ali, algures, por ali ainda e ainda algures.
A chama que deve vibrar por dentro, por vezes apaga, ou mantem-se matreiramente escondida por entre tudo o que somos.
A vida procura a vida e a mesma procura-se a si, sem saber a mesma que se procura apenas a si.
Acha-te óh Vida!

domingo, 1 de maio de 2011

Traça

A distância entre nós...
Não é física. Não se trata de uma distância real, não se sabe ao certo que distância temos nós um do outro. Sabemos que um faz um gesto puro e o outro responde. Sabemos que um faz o sexo o outro o amor. Mas não são distâncias as físicas mas as outras que nos afastam, as outras, as sem nome de algo, sem vivência, sem sonho, são essas as que nos afastam. As intimas e nossas, de um e do outro.
Não é a distancia que nos afasta. É o medo da traça.

The National








Inside my head... all i can remember is ... void...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Crise: A CULPA É NOSSA!!!

Seremos NÓS culpados da crise que Portugal atravessa? SIM.
Há sem dúvida algo que deveríamos ter em conta, e não temos, até quem se pensa são, justo, leal, mostra-se o oposto nas mais pequenas coisas, sem se aperceber que de facto os simples actos de esperteza são por si só os mesmos que nos transportam para uma crise com pernas para andar pelos comportamentos de todo o português.
Vejamos:

- a água que cada rega cronometrada deita mesmo nos dias de chuva, NÃO DEVERIA ALGUÉM FICAR RESPONSÁVEL POR PARAR TAL GASTO???

- o dinheiro gasto em estádios é tirado do bolso de quem? Clubistas e etc, porquê? HÁ SÓCIOS ELES QUE PAGUEM AS COTAS, HÁ DINHEIROS EM JOGADORES ENTÃO HAJA DINHEIRO PARA TAIS INVESTIMENTOS.

_ estradas sem necessidade, só como forma de gasto publico, para quê? HAJA MELHORIAS NAS QUE JÁ EXISTEM, HAJA BOM SENSO.

- saneamento, alcatroamento, gás, TV por cabo, etc... SE HÁ UMA ORDEM POR LÓGICA DAS COISAS VAMOS USAR ESSA TAL LÓGICA, SEM SER NECESSÁRIO FAZER AS MESMAS DUAS OU TRÊS VEZES PARA JUSTIFICAR OS GASTOS.

- numa casa gastam-se materiais rascos e cobram-se milhões, porquê? HAJA FISCALIZAÇÃO.

- um carro sofre abatimento ao sair do stand, quando o mesmo é pago fora por metade do preço, porquê? HAJA COERÊNCIA DE VALORES.

- se os nossos produtos têm qualidade, porque não torna-los competitivos com os de fora?

- outros pontos:

__ quando recebemos dinheiro fácil
__ quando passamos a perna a alguém
__ quando pedimos facturas para gastos próprios
__ quando fugimos ao fisco
__ quando criamos sacos azuis
_ quando roubamos simulada mente
__ quando fingimos trabalhar para manter um posto
__ quando de cedo nos deixamos ficar enquanto os outros trabalham para nós
__ quando vamos à sopa dos pobres tendo de comer em casa
__ quando pedimos descontos
__ quando aproveitamos todos os espaços para sermos os mais espertos
__ quando sabemos que claramente estamos a levar caro para receber lucro maior sem necessidade
__ etc

estamos a roubar o bolso de cada um, incluindo o nosso.



Factos

* não se enganem, o e-oportunidades não vos dá curso algum, dá um atestado de presença em algo que claramente não se sabe o que é.
_ como podem ser cursos se as pessoas que ensinam normalmente não têm competências para tal coisa, ensinam matemática sem ao certo saber o significado de um = ou de um <=> é que são sinais distintos e ambos apesar de se usarem não são a mesma coisa.
_ como ensinam informática se por vezes nem sabem para que servem as teclas todas?
_ ensinam português como? se não sabem corrigir erros???
_ os PC's são dados com um valor de 150 euros mas ficam obrigados a serem vinculados a uma rede de telemóveis... Com que dinheiro foram comprados os PC's???
_ com que direito têm os que recebem abonos sem nunca terem descontado?
_ como é justo um "drogado" (lamento a palavra mas não me ocorre outra) receber 650 euros (mais euro menos euro) e um inválido por trabalho receber 300 euros (ou menos) tendo este descontado para a segurança social?
_ como pode um individuo ter duas reformas?
_ porque se é velho para trabalhar e novo para a reforma?
_ porque não trabalhamos até querer?


EM VOGUE

CENSOS


a palhaçada dos censos

Por favor, mas há necessidade disso?
A minha avó morreu faz oito anos, e ainda recebe cartas, e está declarada como morta, não haja confusões. Censos? E que tal tratar da papelada que há para tratar?

Saibam que, foi pago a quem destribuia os censo um ordenado, estudante e outros, uma modica quantia de mais ou menos 700 euros. Mas não estamos em crise? É que não parece. Mas porque não se colocaram os do e-oportunidades a fazer tal coisa? Não recebem do estado? Para estarem em casa? Não fazem cursos e são doutores? Então não seria lógico trabalharem para o patrão que os paga_ Estado? Vão gastar mais dinheiro EXTRA com papelada inútil? Com que direito? Com que dinheiro?


Emprestamos dinheiro à Grécia, mas já não estávamos em problemas financeiros? Ou são os meus olhos que vêm coisas mais à frente?

Portugal é um jovem rico, com peneiras de grandezas que usa créditos para os quais sabe que não tem dinheiro mas mesmo assim arrisca a sorte.

Estamos na "MERDA" e basicamente deve-se a uma má gestão.
E MÁ conduta de todos nós. Não se iludam temos culpa no que passamos. ABAIXO A ESPERTEZA, VAMOS SER HUMILDES TRABALHAR E CRESCER.

sábado, 16 de abril de 2011

Bailado "DREAMS"

Chamada ao palco...



Decorre dia 29 e 30 de Abril "DREAMS" bailado trazido pela mão/pés da Companhia de Dança do Norte.


Centro Cultural Malaposta, Odivelas (Lisboa)


Com: Pedro Pires, Cátia Fonseca, Marco Ferreira, Katie Baldwin, Alicia Campi.

Direcção artistica e coreografia Pedro Pires.

DREAMS

"A Sombra de Beckett" TEATRO

"A Sombra de Beckett"

Obra de: Bruno Schiappa,
Actor: Nuno Crespo,
Palco: CCC (Centro Cultural do Cartaxo).


Apresentação da obra de Bruno Schiappa_ mais uma entre tantas, que este senhor nos brinda, sempre com uma articulação ardilosa das palavras, um manifesto de sabedoria e audácia, uma mente mais para além do Homem-Comum. Foi-nos dado a conhecer um dos seus mais recentes textos com a brilhante performance de Nuno Crespo, um actor novo, mas com grandes sinais de pericia de palco, uma mais valia para uma boa peça, não bast ter um bom texto, se bem que ajuda bastante, é necessário o resto, e o resto é dar vida às palavras, e isso foi feito e conseguido ontem no palco do CCC (Cartaxo), Nuno Crespo demonstrou grande flexibilidade fisica, emocional, psiquica, desdobrando-se em mil e um eus distintos, cada um deles com fases dinamicas do sentir.

Um texto (monologo) de pensamentos internos de um homem que se procura, a si e ao mundo onde o mesmo existe... Quantas serão as voltas que nós Homens daremos no Mundo até achar o nosso próprio Mundo?

Parabens a ambos, à equipa do CCC, obrigada por mais uma noite de encontro com o EU.
Muita M ....

segunda-feira, 11 de abril de 2011

AMOR

Hoje não sei, não sei o que pensar, sentir, se é que sinto, cruzo-me comigo, com as culpas, questiono-me e sensuro, há coisas estranhas que não entendo, e mesmo tentando não as busco no seio de mim, e quando as busco porque no fundo sei que busco, não as encontro em mim, só nos meros sonhos ou devaneios, nos extra-vida paralela; e sinto que não sinto, mas quero sentir, sem ser capaz de tal o fazer, como se sente afinal? Quando já não se sente nada? Os gritos surgem mudos de dentro e cá fora morrem sem serem vistos. Serão então eles os gritos que calo cá dentro, e de dentro não saiem sequer gemidos? Fecho os olhos, apago memórias, e tento focar o que não sei como focar, e nada aparece senão rancor e dor. Fosse a vida um rio de cores, e eu mergulharia nele, sem pensar sequer no amanhã; mas assim não o é. Como se sente o AMOR, se pareçe que passa em todo o lado menos aqui, onde deveria passar, aqui, no coração, segundo consta é no chakra do coração que passa o AMOR, no verde que mexe, no verde que cura e sara as magoas, se é que passa verde no vermelho da dor. Como se sente então o AMOR? Se tudo pareçe nada!!!

Album

Se fossem as imagens pedaços do ser,
seriam as imagens guardadas em cada album
uma formula para a vida contida em páginas,
como um frasco contém DNA de uma vida.
Haveriam pedaços de nós por toda a parte,
no Mundo inteiro repetições de um mesmo ser,
de um mesmo coração a bater.
Todos guardamos medos, curiosidades, angústias, alegrias
Belezas todas elas contidas em nós e por essas marcas vastas espalhadas.
Somos sempre tão sós na despedida, tão pobres na entrada,
tão pequenos nas cruzadas
e tão cheios da mesma vida.
Somos albuns repletos de cor, de tons
de escuridão mas sempre imensa luz.
Não fosse o respirar ser o facho da iluminação.

sábado, 9 de abril de 2011

Acordo- SIM. manter a nossa lingua mãe....

www.PortuguesPt.com



...assina se assim o entenderes...

"(...)
Para quem acha que o Acordo é bom, ficam aqui algumas razões:

1. Este é apenas o 1º de outros acordos que se seguirão, diz-se até que este foi insignificante, se este prosseguir, os outros serão imparáveis. O que virá nos próximos? Se lá se fala "tu quer" (Gaúchos) ou "você quer" acho que iremos um dia "falar igual", ou portuguesmente: falar do mesmo modo. Entre outras coisas lol.

2. O "C" de Directo serve para algo. Para os Brasileiros é mudo porque eles acentuam todas as sílabas como os Espanhóis. Nós não, precisamos de ter o "C" para nos dizer que "directo" é lido como "diréto", senão seria como coreto ("corêto"), cloreto ("clorêto"), luneta ("lunêta"), não dizemos "lunéta" nem "cloréto" nem "coréto", não é? Vamos ler "direto" como? "dirêto"? Enfim, o "C" serve para algo cá, no Brasil não, mas cá serve. Ou sem o “P” em Baptismo ficar “bâtismo” como “batida” já que é o “P” que abre a vogal? Será melhor em vez desta regra do “C” e “P” dizermos antes às crianças e estrangeiros que têm de decorar uma lista de centenas de palavras de excepção onde se deve ler “Á” sem ter o “P” ou “C”, etc, ou mais fácil ensinar a regra do “P” e “C”?

3. Vai ser bonito falarmos do Egipto com o P e lermos Egito sem o P. E como as crianças aprendem o que é Egipto na escola e não em casa (não andamos a falar do Egipto a crianças de 3 ou 4 anos), irão aprender a falá-lo como "Egito" sem "P", mesmo que os pais falem com "P" (eu falo o “P” em Egipto, por acaso). Prova de que a escrita alterará a fonética.

4. Vamos ensinar um Inglês como? Dizer-lhe «olhe, você aqui lê EGITO mas NESTE CASO específico, pronuncie "EGIPTO" finja que existe lá um "P" imaginário, finja que é como o "EGYPT" do seu país, mas escreva só "EGITO" não tente perceber, o Português é assim! E olhe há egípcios, egiptólogos, tudo tem P mas no Egipto é EGITO, sem "C"!» - É isto que vamos dizer ao ensinar Português? Obrigá-los a decorar palavras de “excepção à regra”?

5. E que mal tem "pêlo" ter o acento? É mais bonito escrever: "agarrar o cão pelo pelo"?...

6. Não há qualquer desvantagem em em existir Português-PT e Português-BR, como há Inglês diferente em UK e USA (doughnut e donut), como com o Espanhol onde "coche" na Espanha será "carro" na América do Sul, etc. Cá só há desvantagens e custos com o Acordo. Seremos o único ex-colonizador a escrever e falar como a colónia (por algum motivo obscuro). Não nos entendemos assim? Só pouparíamos dinheiro e neurónios.

7. Peçam a um Brasileiro para dizer "Peniche" após a falarmos e verão a palavra que sai de lá ao nos tentarem imitar. Isto porque o Português-PT tem muito mais riqueza fonética e até linguística que o Português-BR. Aprendemos facilmente o Português-BR e eles não aprendem tão facilmente o Português-PT porque lhes falta essa prática na gama maior de sons que a nossa língua contém, havendo até quem diga que somos os melhores a aprender línguas e sotaques no mundo devido à riqueza da nossa língua. Vamos aproximar-nos do Português-BR porquê?

8. Corretora Oanda, movimenta triliões, é a maior corretora cambial do mundo, traduziu os seus manuais para Português-PT. Isso mesmo, nada de Acordo, nada de Português-BR. Português-PT. Porque vamos nós andar a alterar o Português e mostrar-lhes que afinal fizeram a escolha errada? Entre muitas outras empresas.

9. Querem que os livros escolares de 2012/13 sejam já com o novo acordo. As crianças serão ensinadas neste primeiro passo a lerem e escreverem de forma diferente. Não é assim opcional a mudança como nos querem fazer querer. A mudança é obrigatória, é imposta nas escolas, já está nos media, etc. Não podemos escolher continuar como estamos porque daqui a uns anos será mesmo errado. Os Brasileiros cortam "C" e "P" e podem ler da mesma forma, nós não! Esqueçam a dupla grafia...

10. O que é que o povo mandou? Inquéritos em que umas 65% das pessoas rejeitaram o acordo, umas 30% não saberem o que é e o resto diz que sim? E que salvo erro umas 28 em 30 universidades e editoras consultadas disseram que não? Além de muitos linguistas? Porque é que é aprovado o acordo contra a vontade do próprio povo? Mesmo uma petição com 120.000 assinaturas foi apresentada a 50 deputados dos quais 49 faltaram e uma apareceu e ignorou. Para ir mesmo à Assembleia, só com uma ILC!

11. Os Portugueses devem estar mesmo no fundo. A falar do glorioso povo do passado e ninguém quer saber da língua. Os Espanhóis nunca aceitariam um acordo destes para os obrigar a falar como os Argentinos! Os Bascos, são apenas uns 100.000 ou 200.000 a falar Basco, nunca desistiram até ao fim e agora têm até a língua Basca como oficial no seu pequeno "país". Só o Português é que deixa andar e desleixa a língua e deixa que outros façam o que querem dela...

12. Estamos nós a defender letras como "C" em Directo que realmente não são inúteis, têm a sua função, e lá fora há línguas que mantêm letras desnecessárias, como "Dupond" ou "Dupont" em Francês que nunca apagaram nem apagarão o T só porque não é lido!! Vamos apagar porquê? Somos burrinhos e é difícil para nós percebermos para que servem e por isso cortamos?

13. Há mais falantes nativos de Inglês mais Espanhol juntos (Espanhol mais ainda que Inglês), que passam de um bilião de nativos, e mais de 2 biliões de falantes não nativos das mesmas, do que os 200 milhões de Brasileiros. Estarmos a afastar a língua de 2 biliões de pessoas para ficarmos mais próximos do Brasil é disparate. Mais uma vez, para facilitar a vida aos Brasileiros, vamos dificultar a vida a quem quer aprender Português lá fora e tornar a língua pouco concisa como visto acima. Vejam: "Actor" aqui, "Actor" no Latim, "Acteur" no Francês, "Actor" no Espanhol, "Actor" no Inglês, "Akteur" no Alemão, tudo com o "C" ou "K", e depois vêm os Brasileiros com o seu novo: "Ator" (devem ser Influências dos milhões de Italianos que foram para o Brasil e falam "attore"). Algumas outras: Factor, Reactor, Sector, Protector, Selecção, Exacto, Baptismo, Excepção, Óptimo, Excepto, etc, "P", "C", etc. Estamos a fugir das origens, do mundo, para ir atrás dos Brasileiros. Quanto amor não?

14. Alguém quis saber do resto das colónias que não falam da mesma forma que os Brasileiros? Só o Brasil é que interessou ao Acordo (já que Portugal foi o que cedeu). Tenho amigos Angolanos que dizem falar como no Português-PT e não querem o Português-BR nem o Acordo e nem foram consultados! É só o Brasil o dono da língua?

15. O Galego-Português da Galiza, o da variante da AGLP, é mais parecido com o Português de Portugal neste momento que o próprio Português-BR. Os Brasileiros têm alterado a língua sem se preocupar com o resto do mundo, porque é que temos de ser nós a pagar pelos seus erros e prepotência?

16. ODEIO instalar um software e ver que vem tudo em Português do Acordo, e fóruns também, em que uma votação é uma "ENQUETE" (sei lá como foram inventar isto), em que um utilizador é um usuário, em que "apagar" é "DELETAR" (do "Delete" Inglês, por incrível que pareça nos seus dicionários), ou Printar, ou etc. Por vezes sou obrigado a utilizar softwares em Inglês para aguentar... Como haverá agora Português-PT e -BR ao gosto de cada um, se só existirá um "Português"? Eu quero sites e softwares que eu entenda e na minha língua e isso SÓ É POSSÍVEL mantendo o -PT e o -BR separados! Senão será tudo misturado para sempre! E depois lá vamos nós "enquetar" (votar) e coisas assim (enquetes = votações)...

17. A prova do ponto 16, é que o próprio Google Translator já só tem o "Português" e tudo o que escreverem ficará no Português-BR, e até "facto" que ainda não mudará já aparece lá como "fato", é bom que nos habituemos pois será o que virá nos próximos acordos, bem como "oje", "abitação", etc.

18. No Brasil mesmo não sofrendo as alterações que temos, há milhões contra o acordo também por coisas tão insignificantes como o acabarem com o "trema"!!! Vejam na net!! E nós com alterações tão brutais, ainda estamos contentes e sem fazer nada!!!

19. Existirão sempre pseudo-intelectuais em todas as línguas que irão dar a vida pelo acordo (sem querer ofender ninguém), achando que é o ideal, e que salvará o país e que dará emprego ao país, e até que sem isto a lígua Portuguesa morre e haverá um "Brasileiro". A variante Português-BR nunca poderia ser uma língua independente como "Brasileiro" só pelas alterações que fazem, não há esse perigo, teria de ser radicalmente mudada (nunca acontecerá) de propósito para o efeito. Não inventemos. A variante Português-BR nunca poderia ser considerada outra língua. E não deixem que pseudo-intelectuais nos tratem como burros só porque defendemos a língua. Tudo o que é chicos espertos e pessoal com manias irá para a defesa do acordo (existirão também pessoas decentes a defendê-lo é certo).

20. Nada impede que haja uma espécie de concordância mais simples em que digam apenas que incluímos palavras deles e nossas num dicionário universal mas SEM IMPOR regras a ninguém, e que no futuro cada um dos países só alterará a SUA PRÓPRIA variante com acordo dos outros, sem impingir aos outros essas mudanças, apenas para evitar que as mudanças no Brasil possam ir ainda mais longe e arruinar ainda mais o Português das restantes colónias. Nada impede isso.

21. Com o Português unido, qual ficará a bandeira oficial? Já vejo por todo o lado a bandeira do Brasil no Português, mas se tivesse Brasil para Português-BR e a Portuguesa para Português-PT, ainda era aceitável, apesar de sabermos que só há uma bandeira oficial que é a Portuguesa, mas é difícil impedir o patriotismo Brasileiro, mas com tudo unido, haverá a tendência das empresas para adoptarem a bandeira do país que tem mais população, o Brasil, mais valia termos variantes.

22. Cada vez que me lembro que lá já escrevem quase todos "mais" em vez de "mas" porque falam no fundo "mais" com o sotaque e eles têm a tendência de passar para a escrita a forma como falam, no futuro não será de admirar que nós sejamos em futuros acordos obrigados a escrever também: "eu fui lá MAIS não vi ninguém", é que lá há a tendência do que se fala passar para a escrita com o tempo... “Presidenta” já está nos dicionários, só falta transformarem um dia o “Presidente” em “Presidento”, era só o que faltava... Já há muito tempo que o Brasil anda a adulterar a língua sem ninguém intervir, e agora ALTERAM A NOSSA!

23. EXISTEM FORMAS DE TRAVAR ESTE ACORDO! Petições ou clicarmos num LIKE no Facebook não fazem nada. Há uma ILC em movimento que será entregue em breve, prazo final para impedir esta desgraça. É chato porque temos de imprimir um miserável papel e enviá-lo, porque é para a Assembleia, mas quem é que diz ser contra e fica sem agir? Se 20 pessoas assinarem, fica a 2 cêntimos cada o envio dessas assinaturas por correio. É só colocar num marco de correio! Houve uma ILC antes, e entrou na Assembleia, e anulou uma lei de Arquitectura. As ILC's podem ter esse poder. É uma forma do POVO LEGISLAR. Do povo criar leis, e acabar com leis. O Governo fez isto sem apoio de ninguém e nós podemos tentar fazer algo para corrigir. Quem é o Governo para legislar sobre a língua, ilegitimamente?

24. Há mil outras razões para dizer não ao acordo, mas... para quê? Estas não chegam?

25. Para terminar fica uma frase de Edmund Burke: "Tudo o que é necessário fazer para que o mal triunfe, é que os homens bons nada façam." Neste caso, tudo o que é necessário fazer para que o Acordo triunfe, é que NÓS continuemos à sombra da bananeira, e deixar o tempo passar. Porque o Acordo foi aprovado e se ninguém lutar contra ele, ele já cá anda.

Se estas razões forem suficientes para vocês, então vamos agir. Basta uma assinatura e as instruções estão no site acima.

Nada é garantido à partida mas vamos-nos ficar sem dar luta?

Se não quiserem assinar, por favor enviem aos vossos contactos.

SOMOS PORTUGUESES E TEMOS DIREITO A MANTER A NOSSA LÍNGUA
(...)" Transcrição de e-mail...

Eu quero a minha identidade

Estamos na queda, na queda de tantas pequenas coisas que são importantes, a queda da identidade de um ser, de uma nação. Estamos despovoados de valores, a caminhar para uma perda de cultura, perda de nós. Há acordos indispensaveis para a continuação de um país, porém há também os que maltratam uma história, uma cultura em prol do facilitismo, que mais tarde se vê o mal que faz ao desenvolvimento do individuo. Deixamo-nos entrar para uma tal de CEE, que mais tarde passou a ser CE, uma tal de Europa, que para além de ser um organismo necessário e importante, não tem em linha de conta o que mais importante existe, nós somos países diferentes por um motivo, para termos um globo distinto de local para local, devemos valorizar o bom que cada um tem, desenvolver as potencias dos mesmos, e nunca tirar-lhe qualquer possibilidade de crescimento, estamos cá todos diferentes para sobreviver, viver, construir em harmonia, porque será que o Homem nâo ententende??? Também as linguas são fundamentais, na sua divergencia, só assim faz sentido todos os anos de historia que os nossos antepassados lutaram por fazer e deixar gravado, seja numa pedra, seja num tratado, as diferenças exigem-se por questao de honra. Vamos apagar tudo porque é mais fácil para nós? Onde acaba o egoismo? Onde acaba esta coisa feia do fácil? A nossa lingua é das mais antigas, das menos faladas, das mais dificeis, para muitos das mais belas, vamos deixar que o Brasileirismo (que nem sequer é lingua) tire o que de magnifico tem o que nos deixaram os nossos "Velhos Pais"? Uma coisa são adaptações ao que se vive, mudar algumas regras que não fazem sentido, outro é matarem a lingua mãe para se falar uma lingua mal falada... Vamos pensar e não deixar que nos levem o que mais digno temos...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

IN doubt I


Porque vale a pena acreditar, vale sempre ser feliz... Mesmo que o sonho seja mudo, e a esperança vaga...

Vale a pena crer em algo que não nos ultrapassa...

Vale a pena viver, enquanto a alma mesmo castiga caminhar...

Vale a pena querer sempre mais, sem tirar viva alma.

Porque vale a pena acreditar na tentativa de ser sempre feliz.

domingo, 3 de abril de 2011

Above it all, love I heard you say It will be over soon Will be over... Soon, Above it all, love I know, how long it takes for us to walk, How long it takes for us to see... Above it all, love I believe there's a reason for it Above it all, The tears wont's stop to fall... Oh... dear... I know it's like that... And all I see, it never ends or stops between ABove it all, love...

domingo, 27 de março de 2011

Como era...

Em contraste com a escuridão da noite, estavas tu. A luz por sua vez, banhava a tua pele, bem como o meu desejo. Sorrias, como quem sorri ao Mundo pela primeira vez, apenas chegara de mais um dia de trabalho, e sorrias, como se finalmente algo de muito bom surgi-se na tua vida, para a mudar no mesmo instante.
O que importava, se cada vez que fechava a porta deixava um Mundo sem sabor para trás e chegava todas as oportunidades de ser em pleno contigo.
Eras um tal de tudo, para mim, um companheiro de viagem a uma Lua, Marte ou mesmo a Venus, amor tu eras tudo!

domingo, 20 de março de 2011

Blog de Miguel Pires Cabral

Aqui fica senão a primeira referencia a segunda do blog de Miguel Pires Cabral a surpresa da poesia

http://barbituricodaalma.blogspot.com

sábado, 19 de março de 2011

....

Soprava continuamente nos teus lábios, repetindo a palavra : amo-te.
Sem castigo, cansaço, fadiga do mesmo, na essência apenas o som dos nossos passos... Amo-te com todas as letras.

terça-feira, 15 de março de 2011

Falava

Como quem não sente, deixava ir no toque a falta de ti.
Quando tocavam em mim, fechava os olhos e imaginava que eram a mim que beijavam.
Mesmo não o sendo, naquele momento poderia ser meu aquele toque.
Existiam erros de existência, erros de métrica, erros...
Mas existia a vontade maior que tudo, maior que o bater da hélice, maior que o toque, havia a vontade de te cobrir em beijos e salpicar a tua pele com pedaços salgados de mim.
Havia a vontade do desejo, a vontade de ir além do toque que não era meu, talvez fosse apenas a solidão a falar e a tua falta a chegar.

domingo, 13 de março de 2011

Something

Something as just been broken for life...


(olhares)
Something broken inside and I don't know what it was.
Can't stop and make a draw of you, without making it terrible wrong.
Something broken inside my veins and my blood ins't the same as before.
Can't stop the mind from thinking, from times to times, what a mess I've become.
Something broken deep my veins, something run from inside...
Was it you, my dear life?
Can't figure it from this side, but I'm tired of it my dear.
Can't find myself in any shadow of eye, something lost me in here...
Somehow, something can't be as a dream I once could dream.
Something is gone from here, it's been a long ride.
Somehow, all to ask is peace in.
Something is already dead, just craving the dar or hour to be apart...
Can't seem to find you anywhere...

segunda-feira, 7 de março de 2011

Equação

Seja uma perda completa do tempo
Um infindavel crédito sem cartão do mesmo
Talvez, seja um erro eterno
Um lamento de uma prece mais evidente
Seja o bafo do coração na espera
Um minuto contado
Uma equação errada de dois
Símbolos errantes numa vida paralela
Talvez, seja o inigmavel medo de perder
O não do próprio ser
Seja o rasgo do peito
O reencontro da sombra de um passado
Talvez, nunca seja o destino
Nunca seja a saudade
Mais do que uma equação errada...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Viagem

Não era para o abismo que corriam as pernas tremulas.
O planos perfeito de férias começando em ti.
Não era para o fim de um sonho que corriam ambas as pernas...
Era para o fim do ser.
Não era para um abismo morbido de som que se corria assim.
O fim estava na berma de uma estrada qualquer, num cruzamento de vidas no fim.
Não era para o abismo que corriam...
Não era o plano da viagem para o ser assim.
Corriam para um abismo, poço sem fundo, sem voz ou eco de tudo.
Abismo, não era a viagem do plano...
Corriam tremulas para um dito abismo...
Viagem de cruzamento de vidas...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Above & Beyond - Stealing Time

Ao fundo apenas o som do baloiço velho, feito de madeira macisa, rangiam os parafusos já calejados pela existência de infâncias levadas no seu embalar. Ouviam-se os pássaros nos ninhos próximos no seu mais puro cantar, reuniões familiares, de certo. De olhos fechados poderia adivinhar onde e como estavas, era o teu ritual... Seria fácil ver-te sentado na cadeira de baloiço com os pés apoiados na cerca do alpendre, seria fácil imaginar as botas preenchidas de lama, o cigarro nos lábios, o chapéu que teimavas usar de forma a tapar o rosto, podendo assim ser fácil dormir um pouco pela calada do dia. Avançava pelo caminho de terra, deixando para trás, o portão de ferro pintado de um verde vivo, já com falta de tinta em algumas partes, expondo a real cor do ferro com mais de cinquenta anos. Passava as mãos pelas flores e ervas que me diziam bom regresso, acariciava com as pontas dos dedos a forma como delicadas eram todas elas, e a falta que me sentia das mesmas, de as sentir na pele, no corpo, no cheiro...'Como é bom estar de volta!'Ao ver-te, l´exactamente onde imaginei encontrar-te, não contive em mim o sorriso... 'Nunca nada na verdade muda na essência, nem tu!'Dei por mim a caminhar como se dança-se com tudo à minha volta... Corri as quatro escadas de forma estridente, que acordas.te de um salto.'olá, Lucas!'Ainda incrédulo e a lutar com a luminosidade do dia, encaravas a luz, e a minha presença.'oh, ah, mas... És tu?!''claro, ora se não sou eu, quem mais?''meu deus! Estás enorme...''sabes, cresci...''eu sei, estás... Ah... Estás adulta.''_hahahhaah, e tu estás um velho... hahaha...''_Menina, olha que te meto de castigo, respeito.''_Vá dá cá um abraço!'Abraçavas-me sempre de uma forma tão próxima que me esmagava o corpo contra o teu, desta vez não, não saberei se por agora ser maior e não sentir tanto a tua pressão, mas estavas a dar um abraço como se eu fosse um estranho.Olhei-te bem nos olhos, coisa que antes não fazia, tentando procurar o segredo da mudança do abraço, porque mudara? Porque já não me sentia sem ar, nem espaço, porque agora havia espaço entre ambos?

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Espaço e trabalho de um colega

A vida dá voltas, os gostos alteram-se, crescemos, e depois podemos encontrar pessoas que já teriam deixado de estar no nosso pequeno mundo, caso não fossem as memórias, hoje as memórias levaram-me a tentar saber mais de um ex-colega de turma, daqueles que nunca mais se sabe, que nunca mais se veêm, mas que deixaram o registo.
Se não fosse a arte que paira na mente talvez nunca me tivesse vindo à mente o nome dele, nem a vontade de saber como estará, que linhas produz...
Eis aqui o trabalho...


Ps: continua sempre Nuno;)

www.nunorebelo.deviantart.com

é bom ver como se constroi uma vida...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

ARCO 2011 2ª visita a Madrid em prol da ARTE

A arte passa por Madrid.

6:22am...

Ainda no escuro de uma madrugada, com a preguiça de quem saltou da cama com um salto só, deixando o quente e acolhedor aconchego de uma cama para trás, caminhando para o esplendor da arte que por esses mundos se faz...
Não à nada melhor do que acordar com planos de algo sustentável, andar a deriva como uma tábua rasa nem sempre é suportável ao ser.
Como sempre, já me esperavam, com muitos vermelhos parco na EXPO (Parque das Nações) bagagem arrumada, dados os bons dias ao pessoal (AJ, FS, TT, MS)é hora, é tempo, é partida a caminho de Madrid...
Uma vez que, 2010, nos deu alguma experiência quanto o facto de nossos Hermano serem uns queridos, no que diz respeito a civismo, auxilio, simpatia_ este ano fomos acompanhados da "Sofia" GPS, assim não há como nos perdermos pelas ruas complexas de algoritmos por todo o lado, não levando a lado algum, chegou 2010 para aprender que afinal GPS ainda e o melhor amigo do condutor (não sendo eu fã do mesmo objecto).
...
Tratando-se de uma viagem grande (feita de carro) são quase que obrigatórias as paragens para WC, café, tabaco entre os mais diversos pedidos dos passageiros. Deixando Portugal para trás reparamos nas diferenças de povos, de gentes, de formas de estar na vida e no mundo completamente únicas e singulares, que apesar da tentativa de aceitaçõ por vezes é difícil compreender tamanhas lacunas na troca pessoal entre as pessoas. Pequenas manifestações que mostram quem somos e o que somos, com a nossa culpa ou não, a verdade é que podemos aprender a ser diferentes e melhores com simples atitudes, que por vezes só dependem da nossa boa vontade... Contrariedades de países/choques comporta mentais: aqui qualquer (ou a maioria) de nós tenta entender o outro, não significa que se faça da melhor forma ou da correcta, mas tentamos entender as necessidades do "estrangeiro" em terra alheia; fronteira ultrapassada_ não`há a mínima tentativa de entender o latim do português, não há o cuidado em receber, a tal hospitalidade que oferecemos a quem quer que seja que venha de fora, não nos é da mesma forma retribuída. Quando alguém chega a um estabelecimento, á que ter a noção que aquela pessoa é um possível cliente, que nos vai deixar dinheiro, nos dias que correm parece-me sensato tratar esse cliente ou possível cliente bem, o facto de estarmos a limpar o chão (algo que deveria ser feito em horas diferentes das horas de serviço, ou pelo menos sinalizado) é dito ao cliente quase que não entre para não sujar o chão.
Primeiro pequeno ponto: realmente não estava nada sinalizado da limpeza, nem sequer parecia estar a ser feita a hora da limpeza.
Segundo pequeno ponto: o proprietario é que deveria pedir desculpa ao cliente, e amavelmente pedir para que este entre, e para ter cuidado com o pavimento ainda húmido.
Terceiro pequeno ponto: discutir com um cliente sobre tal assunto, parece-me no mínimo descabido e incorrecto (caso exista a palavra improfissional que fique registada aqui).
Pequenas coisas fazem sem dúvida a grande diferença.
Feitos os serviços necessários regressamos à estrada longa...
Tendo deixado um colectivo de adolescentes em escrusão, e um presente bem guardado por terras estranhas... Que floresça...


Caminhando até Madrid
Foto: Cátia Roque 2011

Com a ajuda da "Sofia" chegámos ao hotel, uma vez que ficou acordado vermos a ARCO em primeiro lugar, contrariamente ao ano anterior. Mesmo com a "Sofia" as coisas não são as mais fáceis, há sempre dúvidas que até a própria "Sofia" em sua plena função tem dúvidas de certeza...

Horizontes
Cátia Roque


Muitos horizontes passados Kris Hotel nos esperava, para mais uma aventura... Mais uma vez, a comunicação dos países parece complexa (no entanto ambas as línguas são semelhantes e derivadas, pero qui es complicado es...) resolvidas as coisas 'time to run'...

Horizontes II
Cátia Roque

ARCO MADRID




http://www.ifema.es/ferias/arco/default.html
(para informações)

Não tendo eu conhecimentos sobre ARTE (que não seja a paixão pela mesma) não me parece conveniente fazer critica sobre os trabalhos apresentados, nem seria este o local próprio para tal, deixo aqui alguns registos de trabalhos que gostei, com as suas melhores ou nem por isso inspirações...

Desde pintura, escultura, instalações, fotografia, etc...

Aqui fica para mim a melhor instalação da ARCO 2011, pela sua dimensão e projecto, o todo em si é de tirar o folego, para quem viu o filme "A Origem" caso tal fosse possivel seria algo deste genéro... Gostava eu de ter uma forma 3d de gravar tamanha obra... O caos de imaginação..

Tirou a respiração?
Acredito que sim...

ARCO foi também este ano sinal de consciencia social, muitos foram os que não resistiram em utilizar a arte para aquilo que ela deve servir alertar, tocar, colocar a semente nos visitantes... Um muito obrigada aos artistas que primaram por esse caminho, obrigada pela inspiração, pela qualidade, pela preocupação com os minimos que são o todo do Mundo...
Peço desculpa ao autor mas não fiquei com o seu nome, apenas com este registo digno de observação. Obrigada.
(de lágrimas... o nosso espelho... cada vez mais próximo)

Trabalho que também me chamou toda a atenção... cada pedaço com um significado para cada um de nós único o significado...


Obra de: Gino Rubert


Por hoje, páro um pouco... mais para breve...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Partem

Partem,
como aves ao vento,
partem,
como o fogo do gelo,
partem sem rasto.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Carol Of The Bells by The Bird And The Bee


I just want it to be xmas for real
for once...
xmas...

The Bird and The Bee - Fcking Boyfriend

Is a woman _ lambchop



In the hour of the girl
You can make the danger witness
Or whatever, without your heart
So you wish you could relate
If it's always gonna be
Sit beside me on a star
If you wake me up tonight

So you try to make it whole
with everybody here
More than a Sony
To make the words throw up
Or show me the way
As they pick me up again
They will be there on the couch
They will make you better still

Can you be sure
Of anything you make?
It's enough to make you gag
It's enough to make you sick
Each and every day
With the concrete and the masonry
When the paint that's on is dry
You can work it from your eye

And you take my heart
As you stand alone forever
From the roaming and the surf
And the cloudy cloudy day
Justo a boss thing that is pure
Something specially for you
It's like everybody's needing it
And everybody's sure

And they say

Is a woman, write this down
Put the paper over there
More than it is
No more than it is

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

NMDQOTP

Não há nada melhor, do que o som dos teus passos a chegarem...
Com um pequeno ruído avança o Mundo.
Não há nada melhor, do que o som dos teus passos a alcançarem o espaço
Percorrida a distancia tão fraca entre dois seres...
Nada melhor do que esses passos que aproximam a vida assim.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Bocas

Decoro nos teus lábios
as palavras que me ditas
numa névoa de mesquinhes só tua
negas-me a verdade crua
decoro os trejeitos todos teus
guardando a saliva em mim
dos beijos perdidos
as tuas pausas ficam aquém de mim e do tempo
misturadas numa tábua sem retomo à vida
decoro os movimentos sempre calmos
com que me renegas de vez
decoro o sabor do som da saliva
dos recortes dos dentes da traiçoeira língua
decoro o beijo que nunca me deste
em prol de um sonho nunca sonhado
decoro os teus lábios no acaso continuo de algo inacabado
e já com um fim à vista
decoro silenciosamente a placidez da agonia
pela perda dos sentidos da vida
decoro o paladar meu pelo chão do teu avido lábio
o queimar do desejo imaculado no seio
decoro aquilo que nunca existe
para alem das bocas que nunca se sentem a serio.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Dente de Leão


Linha de um tom mesclado de castanhos exemplares de uma secura, Alentejo, como te descobria em cada queda livre de corrida por entre as terras semi areadas.
Os teus contornos suaves, de altos e baixos pouco acidentados, desenhando uma camada e outra de solo sobre solo.
Por vezes, discretamente lá se desenhavam outras linhas em tons mais escuros, ao longe eram sempre meio cinzentas as manchas, mas quando chegava perto, bem perto, mesmo debaixo da sombra enorme que faziam, vislumbrava-se um céu coberto de um Universo pintado de verdes, castanhos, azuis e amarelos. Uma pintura abstracta que cantava a um ritmo tão distinto, ali caia todo o meu Mundo, e parava, era o oásis da calma, por baixo de cada sobreiro a paz, a música e a borboleta cansada poisava sobre o meu nariz, fazendo cocegas, pequeninas mas já cocegas...
O corpo erguia-se e mais uma vez, as pernas cediam correndo por ali como se de uma prisão deixassem, sentir a brisa quente, o cheiro da terra era tudo. Umas vezes, e muitas que foram, um solitário dente de leão acompanhava tais correrias, nem sei se seria despique, se seria companheirismo, acompanhava, por aqueles terrenos amplos à vida. Outras, tentava eu capturar em mãos os tais dentes de leão, para lhes soprar a cabeça e ver como carecas ficavam com o sopro dos lábios...
Havia tanto sol, que por vezes chegava a apanha-lo com as mãos sem me queimar. Era tão só aquele lugar.
Humilde mas luminoso, vasto mesmo que se trata-se sempre da mesma paisagem da mesma estação da mesma sina, era tudo Tao intenso como tu.
O silencio também fala e canta.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Folha sobre folha

Participação intensa, intrínseca do amigo ET

"_Vou-me lembrar de ti...
Desenhando com letra bonita em post-it amarelo (8x8 cm)
'Vou-me lembrar de ti'
Desenhando palavras em post-it amarelo (8x8 cm)
'De ti...'
Desenhando as confirmações da mente em post-it amarelo (8x8 m)
'De ti? Quem?'
Desenhando dúvidas em post-it amarelo (8x8 cm)
'Lembrando de ti, algum homo spaiens perdido no Universo'
Desenhando em papel amarelo (8x8 cm)
'Esqueci quem eras, mas lembro que tinha que me lembrar de ti hoje'
Desenhando em papel amarelo de um post-it (8x8 cm) deixado ao relento
´Peço desculpa de já não saber quem és, mas mesmo assim estou pensando em ti...

(8x8 cm de esquecimento)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

talvez um desabafo

Talvez, amar seja um privilegio de alguns...
E um mistério nunca encontrado para outros.
Talvez, amar seja um poder limitado.
Um meio termo de vida, um acordo infundado.
Talvez amar seja apenas o vazio e por isso se procure tanto.
Talvez amar seja apenas uma vaga miragem de vida inacabada...
Nada existe sem amar...
Amar é meramente o engano...

Por vezes tentamos arduamente agarrar algo que nunca foi para ser agarrado. O esforço é em vão, as contemplações também e vãs todas as horas de sonho.. Tudo o acaso é apenas isso mesmo, acaso, sem mais nada a acrescentar.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Amor



Dá a tua mão à minha.
O teu sorriso ao meu.
O teu continuar à minha continuação perdida.
O teu tudo ao meu nada!
E o meu tudo seria teu tudo sempre!
Porque amar é ser no acto em si, o mais belo que pode haver para além do EU.

(amando)

Que não morra o amor, pela perda de um grande amor. Seja sempre amor mesmo quando parte, siga sendo amor mesmo quando se morre... Que seja sempre Amor

domingo, 2 de janeiro de 2011

A Bolinha Vermelha no Canto do Ecrã

Julgo que as bolinhas vermelhas nos cantos superiores dos ecrãs a evidenciar que isto ou aquilo são de algum modo complexos para os mais sensiveis, aumentam as audiências e aumentam o entusiasmo dos mais destemidos...
Não resisto (confesso) a uma bolinha vermelha, até posso entretanto desistir de tal trama, e clicar zap zip e zip zap de canal em canal; ou simplesmente utilizar aquele botão on /off que nos serve como pausa Kit Kat, mas sem antes dar oportunidade à bendita bolinha de se expressar. Hoje passa filme de bolinha vermelha, esperei não me disse nada, e mudaria a tal bolinha vermelha por uma bolinha amarela.
Afinal nos telejornais por vezes vejo coisas bem mais de bolinha vermelha do que os prórpios anuncios da bolinha vermelha mostram...