domingo, 27 de fevereiro de 2011

Viagem

Não era para o abismo que corriam as pernas tremulas.
O planos perfeito de férias começando em ti.
Não era para o fim de um sonho que corriam ambas as pernas...
Era para o fim do ser.
Não era para um abismo morbido de som que se corria assim.
O fim estava na berma de uma estrada qualquer, num cruzamento de vidas no fim.
Não era para o abismo que corriam...
Não era o plano da viagem para o ser assim.
Corriam para um abismo, poço sem fundo, sem voz ou eco de tudo.
Abismo, não era a viagem do plano...
Corriam tremulas para um dito abismo...
Viagem de cruzamento de vidas...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Above & Beyond - Stealing Time

Ao fundo apenas o som do baloiço velho, feito de madeira macisa, rangiam os parafusos já calejados pela existência de infâncias levadas no seu embalar. Ouviam-se os pássaros nos ninhos próximos no seu mais puro cantar, reuniões familiares, de certo. De olhos fechados poderia adivinhar onde e como estavas, era o teu ritual... Seria fácil ver-te sentado na cadeira de baloiço com os pés apoiados na cerca do alpendre, seria fácil imaginar as botas preenchidas de lama, o cigarro nos lábios, o chapéu que teimavas usar de forma a tapar o rosto, podendo assim ser fácil dormir um pouco pela calada do dia. Avançava pelo caminho de terra, deixando para trás, o portão de ferro pintado de um verde vivo, já com falta de tinta em algumas partes, expondo a real cor do ferro com mais de cinquenta anos. Passava as mãos pelas flores e ervas que me diziam bom regresso, acariciava com as pontas dos dedos a forma como delicadas eram todas elas, e a falta que me sentia das mesmas, de as sentir na pele, no corpo, no cheiro...'Como é bom estar de volta!'Ao ver-te, l´exactamente onde imaginei encontrar-te, não contive em mim o sorriso... 'Nunca nada na verdade muda na essência, nem tu!'Dei por mim a caminhar como se dança-se com tudo à minha volta... Corri as quatro escadas de forma estridente, que acordas.te de um salto.'olá, Lucas!'Ainda incrédulo e a lutar com a luminosidade do dia, encaravas a luz, e a minha presença.'oh, ah, mas... És tu?!''claro, ora se não sou eu, quem mais?''meu deus! Estás enorme...''sabes, cresci...''eu sei, estás... Ah... Estás adulta.''_hahahhaah, e tu estás um velho... hahaha...''_Menina, olha que te meto de castigo, respeito.''_Vá dá cá um abraço!'Abraçavas-me sempre de uma forma tão próxima que me esmagava o corpo contra o teu, desta vez não, não saberei se por agora ser maior e não sentir tanto a tua pressão, mas estavas a dar um abraço como se eu fosse um estranho.Olhei-te bem nos olhos, coisa que antes não fazia, tentando procurar o segredo da mudança do abraço, porque mudara? Porque já não me sentia sem ar, nem espaço, porque agora havia espaço entre ambos?

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Espaço e trabalho de um colega

A vida dá voltas, os gostos alteram-se, crescemos, e depois podemos encontrar pessoas que já teriam deixado de estar no nosso pequeno mundo, caso não fossem as memórias, hoje as memórias levaram-me a tentar saber mais de um ex-colega de turma, daqueles que nunca mais se sabe, que nunca mais se veêm, mas que deixaram o registo.
Se não fosse a arte que paira na mente talvez nunca me tivesse vindo à mente o nome dele, nem a vontade de saber como estará, que linhas produz...
Eis aqui o trabalho...


Ps: continua sempre Nuno;)

www.nunorebelo.deviantart.com

é bom ver como se constroi uma vida...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

ARCO 2011 2ª visita a Madrid em prol da ARTE

A arte passa por Madrid.

6:22am...

Ainda no escuro de uma madrugada, com a preguiça de quem saltou da cama com um salto só, deixando o quente e acolhedor aconchego de uma cama para trás, caminhando para o esplendor da arte que por esses mundos se faz...
Não à nada melhor do que acordar com planos de algo sustentável, andar a deriva como uma tábua rasa nem sempre é suportável ao ser.
Como sempre, já me esperavam, com muitos vermelhos parco na EXPO (Parque das Nações) bagagem arrumada, dados os bons dias ao pessoal (AJ, FS, TT, MS)é hora, é tempo, é partida a caminho de Madrid...
Uma vez que, 2010, nos deu alguma experiência quanto o facto de nossos Hermano serem uns queridos, no que diz respeito a civismo, auxilio, simpatia_ este ano fomos acompanhados da "Sofia" GPS, assim não há como nos perdermos pelas ruas complexas de algoritmos por todo o lado, não levando a lado algum, chegou 2010 para aprender que afinal GPS ainda e o melhor amigo do condutor (não sendo eu fã do mesmo objecto).
...
Tratando-se de uma viagem grande (feita de carro) são quase que obrigatórias as paragens para WC, café, tabaco entre os mais diversos pedidos dos passageiros. Deixando Portugal para trás reparamos nas diferenças de povos, de gentes, de formas de estar na vida e no mundo completamente únicas e singulares, que apesar da tentativa de aceitaçõ por vezes é difícil compreender tamanhas lacunas na troca pessoal entre as pessoas. Pequenas manifestações que mostram quem somos e o que somos, com a nossa culpa ou não, a verdade é que podemos aprender a ser diferentes e melhores com simples atitudes, que por vezes só dependem da nossa boa vontade... Contrariedades de países/choques comporta mentais: aqui qualquer (ou a maioria) de nós tenta entender o outro, não significa que se faça da melhor forma ou da correcta, mas tentamos entender as necessidades do "estrangeiro" em terra alheia; fronteira ultrapassada_ não`há a mínima tentativa de entender o latim do português, não há o cuidado em receber, a tal hospitalidade que oferecemos a quem quer que seja que venha de fora, não nos é da mesma forma retribuída. Quando alguém chega a um estabelecimento, á que ter a noção que aquela pessoa é um possível cliente, que nos vai deixar dinheiro, nos dias que correm parece-me sensato tratar esse cliente ou possível cliente bem, o facto de estarmos a limpar o chão (algo que deveria ser feito em horas diferentes das horas de serviço, ou pelo menos sinalizado) é dito ao cliente quase que não entre para não sujar o chão.
Primeiro pequeno ponto: realmente não estava nada sinalizado da limpeza, nem sequer parecia estar a ser feita a hora da limpeza.
Segundo pequeno ponto: o proprietario é que deveria pedir desculpa ao cliente, e amavelmente pedir para que este entre, e para ter cuidado com o pavimento ainda húmido.
Terceiro pequeno ponto: discutir com um cliente sobre tal assunto, parece-me no mínimo descabido e incorrecto (caso exista a palavra improfissional que fique registada aqui).
Pequenas coisas fazem sem dúvida a grande diferença.
Feitos os serviços necessários regressamos à estrada longa...
Tendo deixado um colectivo de adolescentes em escrusão, e um presente bem guardado por terras estranhas... Que floresça...


Caminhando até Madrid
Foto: Cátia Roque 2011

Com a ajuda da "Sofia" chegámos ao hotel, uma vez que ficou acordado vermos a ARCO em primeiro lugar, contrariamente ao ano anterior. Mesmo com a "Sofia" as coisas não são as mais fáceis, há sempre dúvidas que até a própria "Sofia" em sua plena função tem dúvidas de certeza...

Horizontes
Cátia Roque


Muitos horizontes passados Kris Hotel nos esperava, para mais uma aventura... Mais uma vez, a comunicação dos países parece complexa (no entanto ambas as línguas são semelhantes e derivadas, pero qui es complicado es...) resolvidas as coisas 'time to run'...

Horizontes II
Cátia Roque

ARCO MADRID




http://www.ifema.es/ferias/arco/default.html
(para informações)

Não tendo eu conhecimentos sobre ARTE (que não seja a paixão pela mesma) não me parece conveniente fazer critica sobre os trabalhos apresentados, nem seria este o local próprio para tal, deixo aqui alguns registos de trabalhos que gostei, com as suas melhores ou nem por isso inspirações...

Desde pintura, escultura, instalações, fotografia, etc...

Aqui fica para mim a melhor instalação da ARCO 2011, pela sua dimensão e projecto, o todo em si é de tirar o folego, para quem viu o filme "A Origem" caso tal fosse possivel seria algo deste genéro... Gostava eu de ter uma forma 3d de gravar tamanha obra... O caos de imaginação..

Tirou a respiração?
Acredito que sim...

ARCO foi também este ano sinal de consciencia social, muitos foram os que não resistiram em utilizar a arte para aquilo que ela deve servir alertar, tocar, colocar a semente nos visitantes... Um muito obrigada aos artistas que primaram por esse caminho, obrigada pela inspiração, pela qualidade, pela preocupação com os minimos que são o todo do Mundo...
Peço desculpa ao autor mas não fiquei com o seu nome, apenas com este registo digno de observação. Obrigada.
(de lágrimas... o nosso espelho... cada vez mais próximo)

Trabalho que também me chamou toda a atenção... cada pedaço com um significado para cada um de nós único o significado...


Obra de: Gino Rubert


Por hoje, páro um pouco... mais para breve...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Partem

Partem,
como aves ao vento,
partem,
como o fogo do gelo,
partem sem rasto.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Carol Of The Bells by The Bird And The Bee


I just want it to be xmas for real
for once...
xmas...

The Bird and The Bee - Fcking Boyfriend

Is a woman _ lambchop



In the hour of the girl
You can make the danger witness
Or whatever, without your heart
So you wish you could relate
If it's always gonna be
Sit beside me on a star
If you wake me up tonight

So you try to make it whole
with everybody here
More than a Sony
To make the words throw up
Or show me the way
As they pick me up again
They will be there on the couch
They will make you better still

Can you be sure
Of anything you make?
It's enough to make you gag
It's enough to make you sick
Each and every day
With the concrete and the masonry
When the paint that's on is dry
You can work it from your eye

And you take my heart
As you stand alone forever
From the roaming and the surf
And the cloudy cloudy day
Justo a boss thing that is pure
Something specially for you
It's like everybody's needing it
And everybody's sure

And they say

Is a woman, write this down
Put the paper over there
More than it is
No more than it is

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

NMDQOTP

Não há nada melhor, do que o som dos teus passos a chegarem...
Com um pequeno ruído avança o Mundo.
Não há nada melhor, do que o som dos teus passos a alcançarem o espaço
Percorrida a distancia tão fraca entre dois seres...
Nada melhor do que esses passos que aproximam a vida assim.